Etiquetas

, , , , , , , ,

Escrevo-te, mulher amiga
À sombra desta saudade vertical
aqui deitado em areias adormecidas
pela maré da lembrança…
cintilação do teu ser
onde, abandonado, me recrio,
homem incompleto que sou.

Escrevo-te, mulher amada
nesta busca constante
do principio do mundo
que transportas e guardas
no teu corpo, espaço sagrado,
mistério indecifrável
centelha que me deu vida
em silencio

Escrevo-te, mulher amante
nesta tentativa desesperada,
desesperante de manter
alento neste meu corpo…
cratera infindável e escura
onde o lume do desejo
jamais se cansa de imolar o sonho
corromper a palavra…

Escrevo-te , mulher
de um lugar qualquer da terra,
que somos e continuamos,
completamente só
apodrecendo lentamente ao sul
esperando sequioso o teu norte.

António Patrício

tela de Yoel Tordjman (Israel)