Etiquetas

, ,

De manhã
ainda me veste o teu
cheiro…
Entre os meus dedos corre,
livre,
o calor do teu corpo…

Nos meus olhos
são clandestinas
as imagens que guardo.

António Patrício

Acordar (notas de rodapé XLII)