Etiquetas

, , , ,

Eu vou da prenhe esperança
ao inútil desalento…

Das margens desta terra
ao fim da eternidade.

Faço dos dias teares
onde vou tecendo uma vida
maior que o destino.

António Patrício

Tecendo os dias (poema de algibeira XLVIII)