Etiquetas

, , , , , , ,

Nenhuma sombra me acompanha
nos passos que vou perdendo
aqui onde o mar muda de nome
e as árvores rangem dobradas
pelo vento salgado.
Vou alinhavando palavras interiores,
ensaio gestos calados.
Das claras tardes faço negro estar,
cerro os olhos, aprisiono o teu rosto,
tempos vividos.
Perco-me em labirintos pensados,
há quanto tempo viajo? Para quê?
Tantas são as perguntas para escassas
respostas…
Sinto o azul das águas na cara,
Sou transportado
pelo seu movimento perpétuo,
abandono o corpo na areia fresca…
Lanço raízes,
e em esquecimento vejo-as crescer.

António Patrício

fotografia de António Patrício (Portugal)

Anúncios