Etiquetas

, , , , , , ,

Vida repartida pelos atalhos
deste mundo de desenganos
ao som do crepitar das pedras.

Nem sempre perdido o norte é,
por vezes de cor se perde o sul.
É de teimosia o rumo.

Dos desertos imensos
fazer verde,
deitar semente à terra.

Atravessar as tempestades
que no peito lavram
sem regatear o esforço.

Fazer dos dias enxada,
das noites bússola.
Crescer em cada alvorada.

Lutar pelo tempo revelado
E crer até ao fim
na verdade de cada homem.

Colher os frutos de mãos nuas
E tranquilamente acreditar
que brandos serão os linhos
da mortalha que nos cobrirá
no final.

António Patrício