Etiquetas

, , , , , ,

Mãos nos bolsos, cabeça em ti,
vou pensando…
E pensando mergulho na noite,
passo apressado, que é fria.
Aconchego a gola do casaco
e nas pedras da calçada vou perdendo a palavra
que um dia foi promessa
e hoje morde como animal feroz..
Vou desfolhando saudade, letra a letra,
do que em ti vivi, do que em ti morri;
Tempos deixados longe…
Perdidos nos caminhos dos dias passantes;
Passados…
Vou pensando este pálido sopro que me traz
o contentamento de te sonhar,
de te amar.
E pensando, vou caminhando até te encontrar
uma noite,
na esquina de uma qualquer rua solitária.
Passo apressado que é fria, de cortar o pensamento.

António Patrício Pereira